quinta-feira, 13 de setembro de 2012

UM POEMINHA DE AMOR CONCRETO



UM POEMINHA DE AMOR CONCRETO
da mesma forma que você  o pão à mesa  a mão um abraço da mesma forma que você  um aviso um acorde  um choque um chute um salto da mesma forma que você  uma carona um passo  uma força um recado da mesma forma que você  uma bronca um tapa  um duro uma gravata da mesma forma que você  a luz uma ideia  um gole uma festa da mesma forma que você dá uma rosa um beijo dá uma bala uma moeda da mesma forma que você  boa tarde boa noite boas-vindas  uma desculpa um tempo da mesma forma que você  de cara dá de frente  de ombros de bandinhada mesma forma que você não me  a mínima não me  ouvidos não me dá bola da mesma forma que você não  o melhor de si eu dou o cu meu amor e daí

[ De MARCELINO FREIRE,

extraído do livro Amar É Crime,

Nenhum comentário: