segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Suicídio


... e depois de se permitir toda aquela gula, entregou-se à agua gelada do banho. Tudo era gostoso: a água gelada, o sono, a letargia e a liturgia. Sua cabeça girava ainda um tanto por causa do vinho. Ele descobriu que tinha paladar para vinho seco. Mas algo lhe chamou a atenção e, por um instante, voou no tempo e antecipou em pensamento aquele que será certeiramente o seu fatídico destino. Aquela navalha, plena de ferrugem, era tão familiar e amiga. Suicídio??? Era ainda covarde para isso. Adiou mais uma vez a morte. Ainda não era tempo. A navalha estava muito enferrujada. Se não morresse pelo sangue desvaído, seria de tétano. Tétano não estava em seus planos.